Check-up da “celiaquice” e o restaurante amor da vida

glutenfree

Completando dois anos aqui decidi refazer meus exames de controle da doença celíaca. Voltando ao tema, sempre pra lembrar, a doença celíaca é uma intolerância ao glúten irreversível, que não representa a falta de uma enzima (como a da lactose) no meu organismo, mas uma reação de origem genética (eu tenho outra teoria) que meu corpo tem ao comer trigo, centeio, cevada e aveia. O que acontece é que meu intestino se fragiliza e perde a capacidade de absorver vitaminas essenciais à oxigenação do sangue, como o ferro. E adquiri doenças crônicas, como duodenite e gastrite. Sem dieta, posso ter úlceras e outros problemas. Enfim. Só bato nesta tecla porque as pessoas não têm a menor noção do que isso significa. A MENORRRRRR!!!!! Não acho que vocês sejam um bando de insensíveis, mas pelo amor, nunca mais digam que só uma contaminaçãozinha não faz mal.

Uma atriz americana fez um site sobre a condição, que ela também tem. Ela é a Jennifer Sposito e tem o blog Jennifer’s Way, em que ela descreve como ficou antes de descobrir o que tinha. E que no hospital que a internaram (ela nem conseguia andar) deram comida com glúten sem mesmo saber se podiam, ou seja, deram um doce beeem açucarado a uma diabética em crise, praticamente. O que a Jennifer descreve de luta, de ser louca e ficar cheirando, apalpando comida, perguntando como foi cozinhada, é o que eu ando fazendo ultimamente.

Talvez por isso estou quase que exclusivamente comendo em casa. Decidi comprar um livro de receitas de uma vez (eu to fazendo meu próprio enxoval de chá de cozinha ultimamente) e se comemos fora, que seja em lugares celiaco-friendly. O que basicamente nos reduziu a um lugar, que é o mais perto de casa. Acho que já falei dele aqui, é o Il Piccolo Focone, onde eu mato saudade de pizza, massa fresca e tiramissu. Este restaurante tem uma participação especial na nossa história, foi onde celebramos cada mês juntos, e onde continuamos a ir todo santo mês. Eu lembro da euforia inicial de passarmos hooooras lá conversando e curtindo a companhia um do outro. A gente chegava quando abria e ia embora quase quando fechava. Hoje, abreviamos o passeio, mas por uma boa razão, queremos voltar logo para ficar debaixo do edredom.

De qualquer forma, se você tem dificuldade pra ganhar peso, ou muita dificuldade para perder, tem o intestino extremamente solto ou preso, tem episódios de anemia constantes (a cada ano) e digestão difícil, fale com seu gastro sobre essa suspeita. Ou vá em um gastro mais específico que conheça a doença. Como aconteceu com a Jennifer, muita gente na área de saúde não está preparada para diagnosticar a doença celíaca, muito menos a sensibilidade ao glúten, que é algo totalmente diferente – não machuca o intestino, são outros tipos de sintomas, como sonolência excessiva.

Comments
One Response to “Check-up da “celiaquice” e o restaurante amor da vida”
  1. isabelgonzaga. disse:

    tenho muito que aprender ….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: